Polícia prende dois últimos suspeitos da morte de dono de restaurante no DF, em Valparaíso-GO

Foto/Divulgação

Valparaíso de Goiás
Tipografia
  • Menor Pequena Média Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

Prisões ocorreram neste sábado (17). Ao todo, cinco homens foram detidos; inicialmente, eram quatro suspeitos, mas polícia identificou participação de quinto durante interrogatórios.

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, no sábado (17), os dois últimos suspeitos de envolvimento na morte do empresário Silvio Ronaldo, de 57 anos, dono de um restaurante na Asa Norte, no último dia 30 de agosto.

Em um primeiro momento, a corporação havia identificado quatro pessoas que estariam envolvidas no latrocínio. Porém, segundo o delegado Laércio Carvalho, da 35ª Delegacia de Polícia, que investiga o caso, durante os interrogatórios com os suspeitos, surgiram informações sobre a participação e a identidade de um quinto homem.

A Polícia Civil afirma que familiares ajudaram a esconder os suspeitos. Entre os presos neste sábado, está Marcus Vinicius Spineli Novaes, de 23 anos. O último detido não teve a identidade revelada pela corporação.

De acordo com as investigações, o crime foi cometido pelo grupo, que invadiu a casa da vítima para roubar dinheiro em espécie. Durante o assalto, os suspeitos efetuaram disparos de arma de fogo, que mataram o empresário.

 

Mais prisões

Segundo a polícia, todos os envolvidos possuem uma vasta ficha criminal, inclusive pela prática de latrocínio. O primeiro investigado, um homem de 40 anos, já tinha sido sido detido, no último dia 11 de setembro.

Na quinta-feira (15), outros dois suspeitos foram presos pela corporação. Um deles é João Paulo de Queiroz Moreno, de 21 anos. Ele foi encontrado na casa de familiares, em Valparaíso de Goiás, após a divulgação de imagens pela corporação.

O terceiro detido não teve a identidade revelada pela polícia. O homem, de 23 anos, foi encontrado no Ceará. De acordo com a investigação, ele foi "o que mais atuou para a consumação do crime" e foi um dos autores dos tiros contra a vítima.

 

Dinâmica do crime

Silvio Ronaldo morava sozinho. Segundo a investigação, antes do assassinato, os criminosos já estavam na porta do prédio onde a vítima vivia.

O empresário saiu para caminhar, como sempre fazia nesse horário e, quando abriu a porta do apartamento, foi rendido pelos assaltantes armados. Os homens pediram dinheiro, e fizeram a vítima voltar ao imóvel.

Silvio Ronaldo pegou um envelope, com R$ 5 mil, e entregou aos homens. Mas eles pediram mais dinheiro. De acordo com o delegado Laércio de Carvalho, a vítima tentou escapar, e se trancou em um dos quartos.

"O marginal, insatisfeito com a reação dele, efetua um disparo que transfixa a porta do quarto e atinge fatalmente a vítima. Quando ele sai de dentro do quarto se arrastando pelo piso, os marginais novamente se aproximam do corpo dele e efetuam outros disparos", afirmou.

Após o assassinato, os criminosos fugiram. Na fuga, deixaram cair R$ 900.

 

Fonte: G1

Adicionar comentário

Enviar

Publicidade